PRÉ-MATRÍCULA - Curso de Especialização em Acupuntura Médica CEIMEC - Início ABRIL 2022

Acupuntura: como funciona e qual o seu papel no sistema cerebral.

A Acupuntura é uma técnica da medicina tradicional chinesa que utiliza de métodos alternativos e terapêuticos para tratar dores e prevenir doenças.

Geralmente a ferramenta utilizada pelos profissionais da acupuntura são as agulhas que são inseridas pelo corpo estimulando terminações nervosas e liberando neurotransmissores capazes de aliviar dores, prevenir doenças e tratá-las.

Sob a ótica da ciência médica contemporânea, essa antiga técnica é considerada mística e um tanto quanto duvidosa, isso porque, como você verá no tópico a seguir, a teoria da acupuntura surgiu através de observações em pacientes e interpretações subjetivas e objetivas do mestre. 

Por isso, buscando esclarecer sobre esta técnica, neste post você verá a importância da acupuntura, sua evolução histórica, os métodos utilizados e os seus benefícios.

A história da acupuntura

A Acupuntura originou-se da China e ao longo de 30 séculos foram-se acumulando enormes experiências práticas e técnicas sobre a medicina, tais como: a etiologia, a fisiopatologia, diagnóstico e o tratamento.

A partir da década de 50, visando o aperfeiçoamento, o governo da chinês incentivou mestres da Medicina Tradicional Chinesa a frequentar cursos médicos nas faculdades de medicina convencional, como também faziam a divulgação do curso de Acupuntura para os médicos convencionais.

Simultaneamente, desde aquela época, as pesquisas experimentais em modelos animais e pesquisas clínicas foram incentivadas.

Assim, a Acupuntura seguiu por um campo científico e mais respeitado, salvando-se da decadência e do descrédito geral.

Desde então, a Acupuntura só deve ser praticada por médicos e sua aprendizagem somente é realizada nas faculdades de medicina tradicional, nas faculdades de medicina ocidental e nos hospitais ligados a estas. 

As agulhas de acupuntura

Com base em alguns relatos históricos, acredita-se que os primeiros instrumentos de acupuntura foram feitas de ossos afiados ou pederneira chamadas pedras Bian.

Durante o período do ferro e do bronze, agulhas de acupuntura de metal começaram a ser desenvolvidas, sendo as primeiras feitas de ferro, cobre, bronze, e até mesmo prata e ouro.

Atualmente, as agulhas de acupuntura são feitas de aço inoxidável e são compostas por vários comprimentos e calibres de largura. 

Estruturalmente, as agulhas de acupuntura são formadas por um eixo de aço inoxidável, com uma alça feita de cobre ou aço, com exceção das agulhas japonesas que têm um cabo de plástico com código de cores.

Ao contrário das agulhas convencionais utilizadas para injeções intramusculares ou para a retirada de sangue, as agulhas de acupuntura são sólidas e têm um ponto finamente cônico, diferente da ponta chanfrada. Na verdade, as agulhas são tão finas que podem ser encaixadas dentro do oco de uma agulha de coleta de sangue padrão.

É importante ressaltar que, o método utilizado pela acupuntura é, na maioria das vezes, indolor, mas, isso não significa que em algumas pessoas possa haver uma leve dor quando a agulha é inserida. A dor nestes casos é algo bastante subjetivo, enquanto uns não sentem dor alguma, outros já podem sentir. 

Outro ponto a ser destacado é o tempo de inserção das agulhas. Após a sua aplicação, as agulhas permanecem no local por aproximadamente 20-30 minutos. 

As agulhas de acupuntura modernas são descartáveis ​​e utilizadas apenas uma vez, não havendo riscos de transmissão de infecções.

Efeitos colaterais

Como você já viu no tópico anterior, a acupuntura é um procedimento que quase não gera dor no paciente e por isso tem poucos efeitos colaterais. Neste tópico você verá alguns dos efeitos colaterais desta técnica. Veja:

  • Sensação de relaxamento profundo 
  • Sensação de bem-estar
  • Descoloração no local 

Nos casos dos efeitos acima mencionados, em regra, são efeitos temporários e não perigosos.

De modo geral, a acupuntura é um método totalmente seguro, no entanto, é importante ressaltar que, se a técnica for realizada de maneira inadequada alguns efeitos adversos podem ocorrer.

A Acupuntura e Sistema Cerebral

A técnica da acupuntura é desenvolvida por agulhas que, inseridas em pontos com terminações nervosas são capazes de promover alívio de dores. Estes pontos estão diretamente ligados a várias regiões do cérebro e do sistema nervoso. 

Quando as agulhas são aplicadas pelo corpo há a estimulação de várias funções do corpo, que, consequentemente, a liberação de substâncias químicas – neurotransmissores, responsáveis pelo efeito analgésico, anti-inflamatório e relaxante. 

  1. O papel dos neurotransmissores cerebrais na acupuntura

Todos os estudos que envolvem respostas neuroquímicas à acupuntura fornecem evidências dos efeitos biológicos que podem ajudar a entender como a técnica pode ser usada no tratamento de doenças.

Além disso, esses resultados sugerem que a acupuntura pode reverter e corrigir o mal funcionamento do corpo através da ativação direta do cérebro, contribuindo para o equilíbrio bioquímico do sistema nervoso central e regulando neurotransmissores que controlam a saúde.

A serotonina, uma substância química, é liberada quando a acupuntura é realizada fazendo com que haja a sua regulação no cérebro, uma vez que, a eletroacupuntura realiza uma diminuição induzida através da retenção nos níveis de serotonina no núcleo accumbens. 

Outra substância que tem papel importante é a a dopamina. Quando a acupuntura é realizada, por ser considerada uma substância mediadora, há a normalização da liberação de dopamina através de neurônios de serotonina no hipotálamo.

  1. A eletroacupuntura e o sistema cerebral

Verificar o efeito da eletroacupuntura no sistema de compostos químicos tem sido pauta de pesquisas recentes.

Estes estudos utilizando animais, fornecem evidências de que a eletroacupuntura de baixa frequência pode ativar encefalinérgicos e beta-endorfinas neurônios no núcleo arcuatus do hipotálamo. 

Parece razoável propor que a eletroacupuntura pode ajudar a aumentar a liberação de dopamina, além disso, há uma evidência neuroquímica importante de que o tratamento de acupuntura interfere diretamente no sistema mesolímbico da dopamina.

O tratamento da acupuntura em pontos específicos Shenmen (HT7) preveniu significativamente a diminuição dos níveis de dopamina extracelular no núcleo accumbens.

Por outro lado, um estudo comportamental indicou que a eletroacupuntura de alta frequência suprimiu a síndrome de abstinência da morfina induzida por naloxona e este efeito inverteu-se no pré-tratamento com antagonista de dinorfina A ou anticorpo-receptor κ.

Dados neuro farmacológicos revisados ​​anteriormente fornecem evidências para a ação dos peptídeos opioides endógenos na analgesia de acupuntura.

O papel da acupuntura no alívio de dores

Quando uma agulha de acupuntura é inserida em um ponto de acupuntura tradicional, algumas fibras nervosas são estimuladas resultando em impulsos nervosos que são enviados à medula espinal. Nesta fase, as células condrogênicas são estimuladas a liberar endorfinas (substâncias químicas cerebrais), como encefalina e dinorfina. 

A partir destas substâncias é promovido a inibição local (bloqueio) do sinal de entrada da dor.

Além de provocar efeitos na medula espinal, o impulso nervoso produzido pela agulha de acupuntura é transmitida para a área cinzenta periaquedutal do cérebro médio onde é liberada encefalina.

A encefalina, por sua vez, provoca a liberação da monoamina neurotransmissores de serotonina e norepinefrina na medula espinal. Estas monoaminas desempenham um papel na supressão da transmissão do impulso da dor.

Além do seu papel na redução da dor, a serotonina está envolvida também na produção de um efeito antidepressivo no cérebro. 

De fato, uma vez que essas áreas são estimuladas, há a inibição da sensação de dor de entrada local, provocando o efeito geral de alívio da dor durante todo o corpo, um efeito anti-inflamatório e uma sensação geral de melhoria do bem-estar.

A escolha dos pontos exatos de acupuntura, se eles estão perto do local da dor ou mais longe, determina qual das três vias mencionadas são ativadas inicialmente, além de maximizar a inibição da dor de entrada na região segmentar da medula espinal. A colocação da agulha em pontos de acupuntura distantes da área da dor interfere diretamente na glândula central do cérebro.

Em geral, uma combinação de pontos de acupuntura locais e distantes são usados ​​em conjunto durante um tratamento, a fim de maximizar os efeitos em todos os três centros.

Conclusão

No geral, a eletroacupuntura e acupuntura  apresentam resultados positivos nos tratamentos de doenças, uma vez que, um área estimulada com agulhas de acupuntura faz ativar neurotransmissores no cérebro, capazes de promover o alívio de dores, como restou notório diante das evidências trazidas neste post. 

Compartilhe em suas redes sociais

Especialização em Acupuntura Médica

Reconhecida pelo Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura 

Próxima turma em ABRIL de 2022 – PRÉ-MATRÍCULA ABERTA