Acupuntura e acupuntura sham reduzem dor muscular em pacientes com dor miofascial

Goddard G, Karibe H, McNeill C, Villafuerte E. Acupuncture and sham acupuncture reduce muscle pain in myofascial pain patients. J Orofac Pain. 2002; 16: 71-76.

 

A acupuntura tem sido usada como tratamento das desordens temporomandibulares bem como outras dores musculoesqueléticas. Suas ações analgésicas foram relatadas em diversos estudos da literatura científica.

A dor miofascial (Síndrome Dolorosa Miofascial ou SDM) é uma causa comum de dor no músculo caracterizada pela presença de pontos gatilhos. Ocorre em ambos os sexos e é mais comumente observada em atletas e nas pessoas acima dos 30 anos de idade. Os pontos gatilhos são locais bem delimitadas, podendo-se manifestar como um nódulo ou local de contração do músculo. Este, quando estimulado, causa uma dor em uma área distante.

Os Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos da América reconhecem os resultados da acupuntura como promissores e ressalta seu uso no tratamento da dor miofascial, complementar a outras modalidades ou alternativo. Apesar do número positivo de achados na literatura sobre o gerenciamento da dor crônica, poucos estudos mostraram métodos científicos rigorosos até o presente momento.

Objetivo

Comparar a efetividade do agulhamento em pontos de acupuntura classicamente reconhecidos (acupuntura verdadeira) com o agulhamento em pontos não reconhecidos como pontos de acupuntura (acupuntura sham).

Método

Amostra: 18 pacientes.

Critérios de inclusão: indivíduos maiores de 18 anos à procura de tratamento para o problema; queixa de dor freqüente (pelo menos 4 vezes por semana com no mínimo 12 semanas de duração; dor na região mastigatória de origem muscular, incluindo queixa de dor bem como sensibilidade à palpação muscular.

Critérios de exclusão: evidências clínicas e/ou radiográficas sugestivas de alterações na articulação temporomandibular; doenças metabólicas (como diabetes e hipertireoidismo); desordens neurológicas (como neuralgia trigeminal); doenças vasculares (migrânea, hipertensão); neoplasias; histórico de desordens psiquiátricas, abuso de drogas e traumatismos facial e cervical recentes; usuários de medicamentos com impossibilidade de suspensão de consumo durante o estudo; pacientes que receberam tratamento por acupuntura nos últimos 3 meses.

Estudo randomizado: 10 indivíduos receberam acupuntura verdadeira e 8, sham.

Grupo acupuntura verdadeira: agulhas eram inseridas de 10 a 30 mm bilateralmente nos pontos IG 4 (He Gu) e E 6, com obtenção da reação de De Qi. Após 15 minutos, as agulhas eram manipuladas (movimento de rotação) por 5 segundos, permanecendo inseridas por um tempo total de 30 minutos.

Grupo sham: foi executado o mesmo protocolo do outro grupo, porém as agulhas penetravam na pele apenas de 2 a 4 mm e os pontos de não-acupuntura situavam-se 1 cm distal do IG 4 e 1cm do E 6.

Cegamento: nem os pacientes nem o examinador que realizou as medições sabiam a qual grupo pertenciam.

Medições: 5 minutos antes do experimento, foi aplicado um estímulo de pressão com algômetro numa área sensível do masseter até o limite de dor tolerável pelo paciente (aumento da pressão até o indivíduo levantar a mão). Foi utilizada a EVA (Escala Visual Analógica) para quantificar a dor. O mesmo procedimento foi realizado após a acupuntura nos dois grupos.

Resultados

  • Em ambos os grupos, houve redução da dor relatada após acupuntura, sem diferenças significantes entre eles.
  • Esses resultados sugerem que a redução da dor por um estímulo nociceptivo (acupuntura) parece não ser específica à localização do estímulo, como afirmado pela literatura da acupuntura clássica.

Resumido por Maria Cecília Azevedo de Aguiar

Compartilhe em suas redes sociais

Especialização em Acupuntura Médica

Reconhecida pelo Colégio Médico Brasileiro de Acupuntura 

Próxima turma em ABRIL de 2021 – INSCRIÇÕES ABERTAS